quarta-feira, 6 de agosto de 2008

NAUFRÁGIO DO NAVIO COMMANDANTE PESSOA


O navio foi construido pela American International Shipbilding Company originalmente sob o nº 64 da série 122 e era conhecido como Hog Islanders. Sendo lançado em 1919 como Cliffwood e entregue para o gerenciamento da armada americana Southern States Lines, onde serviu por 10 anos seguidos servindo rotas da América Central.

Em 1930, 11 anos depois de lançado, o Cliffwood foi adquirido pela American Scantic Lines. O navio foi então reformado ligeiramente e empregado na linha entre Nova Iorque-Copenhague e portos do Mar Báltico. No final da década de 30 foi rebatizado com o nome de Mormacsea.

Em outubro de 1939 o governo Brasileiro, em um plano de revitalização da navegação do Brasil, financiou ao Lloyde Brasileiro a compra de treze navio da série Hog Islanderes, onde estava incluido o navio Cliffwood, ele possuia uma tonelagem bruta entre 5.400 e 5.800 toneladas. Era do tipo de desenho clássico, com três castelos, uma única chaminé, e dois mastros com 11 páus-de-carga. O casco era dividido em dois decks e cinco porões. O maquinário era construído por uma turbina-a-vapor e uma única hélice, permitindo velocidades de cruzeiro próximas a 10 nós.

Em 1940 o navio é vendido ao Lloyde Brasileiro e rebatizado Commandante Pessoa.

Naufrágio:

A meia noite do dia 04 de maio de 1954 o navio, que procedia de Areia Branca/RN, com um carregamento de sal, destinado ao Recife, chocou-se com um arrecife ao largo do Cabo de São Roque conhecido com Risca de Zumbi, no mesmo estado e permaneceu encalhado.

Após o encalhe foi emitido um pedido de socorro, respondido pelo petroleiro inglês San Salvador que seguia para cucaçao.

O petroleiro logo se cercou do local do acidente. Com o amanhecer, 32 dos 46 tripulantes foram passados ao San Salvador, permanecendo a bordo o comandante Borges e 13 auxiliares.

A marinha enviou o caça submarino Piranha e o rebocador Triunfo para auxiliar no salvamento.

A FAB enviou de Natal um avião, que ao regressar comunicou que o navio estava sendo rebocado. Cada ves mais alagado, os últimos tripulantes passaram ao navio auxiliar Pirangi, não havendo vítimas.

O Commandante Pessoa rompeu o primeiro porào e a praça de máquina, devendo ter recebido muita água junto à carga de sal, o que agravou sua condição de flutuabilidade, o cargueiro estava irremediavelmente perdido, naufragando pela madrugada.

O navio teve seu afundamento em 02 de setembro de 1954 estando localizado a 12,2 milhas da praia de Rio do Fogo, com latitude de 05º 08.723' Sul e longitude de 035º 13.104'. Com profundidade mínima de 22 metros e a máxima de 27 metros.

O navio vai desde sua parte mais alta (a proa) a 12m de profundidade, até o fundo de areia branca, a 24m. Parte do navio está semi inteira, com um grande porão de único vão onde podem entrar mergulhadores. O grande costado serve de substrato para inúmeros organismos vivos crescerem, dos quais se destacam grandes esponjas amarelas. A visibilidade é muito boa (cerca de 30m no verão) e a temperatura da água gira em torno dos 28ºC.


Referencia:http://www.naufragiosdobrasil.com.br/naufcomandpessoa.htm (acesso em 06 de agosto de 2008).

2 comentários:

mirtes disse...

muito bom esse artigo, só engrandece as belezas de rio do fogo.

Elson Andrade disse...

OBRIGADA POR SEU COMENTÁRIO, CONTINUE DANDO SUA OPINIÃO.