sábado, 13 de dezembro de 2008

ESCOLA ESTADUAL GOVERNADOR LAVOISIER MAIA SOBRINHO: UMA REFERÊNCIA


A Escola Estadual Governador Lavoisier Maia Sobrinho, localizada na cidade de rio do Fogo, foi construída para ser uma referência de projeto arquitetônico e de ensino na rede estadual. A Escola conta com uma boa estrutura física, excelente ambientação. De início contava também com a disponibilização de equipamentos necessários e acompanhamento permanente de professores. Porém, com o tempo estes aspectos foram perdidos devido à má administração do estado.
A instituição tem quatro salas de aula, uma de multimídia, laboratórios de ciências e de informática, sala de Grêmio Estudantil, cantina e toda a estrutura necessária para o bom funcionamento escolar. Sua construção foi iniciada em 2002 e retomada na gestão da governadora Wilma de Faria. A obra custou R$ 552.602,67 e utilizou recursos do Fundef e de convênios com o Ministério da Educação.
Segundo o arquiteto Lenilson Neves da Costa, o governo teve uma grande preocupação em desenvolver um projeto arquitetônico que possibilitasse ventilação natural e o conseqüentemente conforto térmico. Ele explica que as salas de aula foram posicionadas de acordo com a influência solar. Obedecendo critérios de ventilação cruzada e deixaram o pé direito alto, onde a parte mais baixa da escola tem 3,20 metros para evitar calor .
A Secretaria de Educação teve grande preocupação com a ambientação. A arquiteta Silvana Guerra elaborou um projeto paisagístico executado por Lourdinha Varela que deixou o local mais arborizado e agradável. E a artista plástica Nôra Aires, premiada pela Capitania das Artes, produziu um bonito painel na área de circulação que reflete a relação da comunidade local com a escola.
Outra referência da Escola Estadual Lavoisier Maia era a Biblioteca. Totalmente informatizada, possuía um acervo diversificado com cerca de 3.000 títulos, que foram organizados por dois especialistas, formados em Biblioteconomia pela UFRN. O espaço foi todo projetado para atender à classe estudantil e também à comunidade local. Porém, boa parte deste acervo foi perdida.

Nenhum comentário: